sexta-feira, 25 de abril de 2008

Pindorama


Por problemas técnicos, o post preparado desde o inicio do ano em homenagem aos ancestrais indigenas se perdeu pela vida; mas não podia deixar passar em branco e aqui está, masi uma vez Palavra Cantada.


Pindorama, Pindorama
É o Brasil antes de Cabral
Pindorama, Pindorama
É tão longe de Portugal
Fica além, muito além
Do encontro do mar com o céu
Fica além, muito além
Dos domínios de Dom Manuel
Vera Cruz, Vera Cruz
Quem achou foi Portugal
Vera Cruz, Vera Cruz
Atrás do Monte Pascoal
Bem ali, Cabral viu
Dia 22 de abril
Não só viu, descobriu
Toda terra do Brasil
Pindorama, Pindorama
Mas os índios já estavam aqui
Pindorama, Pindorama
Já falavam tudo em tupi
Só depois vêem vocês
Que falavam tudo em português
Só depois, com vocês
Nossa vida mudou de uma vez
Pero Vaz, Pero Vaz
Disse numa carta ao rei
Que no altar, sob a cruz
Rezou missa o nosso frei
Mas depois, seu Cabral
Foi saindo devagar
Do país tropical
Para as Índias encontrar
Para as Índias, para as Índias
Mas as índias já estavam aqui
Avisamos, olha as índias!
Mas Cabral não entende tupi
Se mandou para o mar
Ver as índias em outro lugar
Deu chabu, deu azar
Muitas naus não puderam voltar
Mas enfim, desconfio
Não foi nada ocasional
Que Cabral, num desvio
Viu a terra e disse: uau!
Não foi não, foi um plano imperial
Pra aportar seu navio num país monumental
A Álvares Cabral
A El-rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda a quem me ouviu
Vou dizer, descobri
O Brasil ta inteirinho na voz
Quem quiser vem ouvir
Pindorama ta dentro de nós
A Álvares Cabral
A El-rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda a quem me ouviu
Vou dizer, vem ouvir
É um país muito sutil
Quem quiser descobrir
Só depois do ano dois mil



Mas os indios já estavam aqui...

2 comentários:

Tiago Fidelis Moralles disse...

Não poderia deixar passar né minha indiazinha.
Beijo.

Felipe A. Carriço disse...

Se não me engano, a um tempo atrás a TV Cultura fez um video muito bonitinho com este poema.
Bem legal!