sábado, 15 de dezembro de 2007

Contos de fadas

Ela achou que não viveria sem ele, ele achou que não viveria sem ela, mas não era contos de fada e o feliz pra sempre não é para sempre.
Ela chorou, não lagrimas de dor, mas ela chorou.
Ele disse que ela era especial, não que ela realmente fosse, mas ela disse.
Ele achou uma outra pessoa, uma segunda tampa pra panela.
Mas não conseguiu se entregar, não tinha descoberto que tudo era momento, e o presente, amanha seria passado.
Ela continuou a chorar, chorava apenas por chorar, ela não sabia, que não precisava dele, mas ela ia descobrir, iria descobrir quando se descobrisse, quando realmente se amasse e isso aconteceu, ela aprendeu que saber amar além de deixar alguém te amar, e saber se amar.
Ela se maquiou, se vestiu belamente, e foi à procura de si mesma, largou tudo e começar de novo, num futuro, de qual não esperava nada.
Mas ela ainda não tinha aprendido direito, e continuava a entrar em relacionamentos, que sabia não ter continuação, se relacionando sempre com pessoas erradas, tentava e de nada adiantava.
E começou tudo de novo, se maquiou, se vestiu e dessa vez ao invés de largar tudo, ela só deixou com ela o amor próprio, a estima por si, e o espelho.
Mas ela ainda está sozinha, ela acha que encontrou alguém novamente, mas esse alguém nem sabe dela, ela ainda é invisível, mas mesmo assim se num de certo, os finais são sempre iguais: ela, o filme triste, vinho e o cigarro pra compartilhar com ela sua solidão.



“A menina cresceu e descobriu que era mentira as historinhas que a mãe contava para lhe fazer dormir”

Um comentário:

-=Tiago Fidelis Moralles=- disse...

Olha o coração Nah.
Quem vê acha que é uma história vivida por você, transcrita para um conto de fadas. Conto em que a menina vive hoje um amor platônico.
Pobre do espelho que essas horas tem que se segurar para não se apaixonar.
Beijo.