sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

E no segundo dia...

Os anos 70 foram muito bem revistado por Tereza Santos, babados e franjas e o caminho ao contrario usando coletes de pele. Cardigã virou vestido, virou bolsa e pareceu na sua forma real também, essa peça foi à inspiração da Maria Bonita, que eram de tricô, xadrez, material de capa de chuva, rabiscados e em muitas outras maneiras, a trilha sonora ficou por conta de Adriana Calcanhoto, que cantou e tocou violoncelo ao vivo.
A Animale trouxe a top numero um segundo um site especializado, a gaúcha Raquel Zimmermann, a cultura oriental foi à inspiração e apareceu nas golas de quimono, peças com um ótimo corte e muito femininas. Trazendo a topografia, Jefferson Kulig mostra a sua biodiversidade, brincando com as cores neutras que se misturam com amarelo, violeta e vermelho.
A Zoomp que tem a direção artística de Alexandre Herchcovicth, que por sua vez propôs um esportista do futuro, com um pezinho no vintage, o estilista brincou sutilmente com peças mais justas e outra nem tanto. Já a brincadeira da V.Rom não foi nada sutil, alguns modelos usava chapeis da guarda real britânica e outros com o rosto totalmente coberto, lembrando radicais talibãs. Com uma coleção baseada em um clássico literário Admirável Mundo Novo, misturando o selvagem e o urbano.

Um comentário:

-=Tiago Fidelis Moralles=- disse...

Adriana Calcanhoto e ao vivo? Putz, adoro essas inserções ao vivo.
Raquel a número um? Putz, não gosto dela, prefiro a já saturada e gasta no mercado da moda Gisele.
Tudo de bom pra você lá no SPFW.
Beijos.