quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Mulheres de Atenas

Começou no Rio essa semana as gravações para o longa inspirado em romance de Chico Buarque e que também terá cenas na Hungria, "Chico homenageia a palavra neste livro. Senti medo de trair o universo que criou, então tive cuidado. Ele é generoso e ajudou muito", conta Rita Buzzar, que assina o roteiro, é aquela mesma de Olga, o diretor escolhido por ela e Chico é Walter Carvalho, a estréia está prevista para o final de 2008 ou começo de 2009. E como estava com outro texto pronto , que também fala da incrível obra de Chico Buarque de Holanda...


Mulheres de Atenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Quando amadas se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas, cadenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas

Quando eles embarcam soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Carícias plenas, obcenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos
Bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos
Os novos filhos de Atenas

Elas não tem gosto ou vontade
Nem defeito, nem qualidade
Têm medo apenas
Não tem sonhos, só tem presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas, morenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas

As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
As suas novenas
Serenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Aspectos atenienses e alguns episódios e personagens da mitologia grega, com menções ao trabalho de Homero, em Ilíada e Odisséia. Penélope, a espera do seu marido que sai para a guerra, que a todos davam como morto, e prometeu escolher outro marido só apos tecer um grande e interminável tear que ela desmancha na noite. Já a segunda menção é a Helena, filha de Zeus, considerada a mulher mais bela do Mundo, e a causa da Guerra de Tróia.
A letra chama a atenção àquelas mulheres que ainda vivem e secam por seus maridos, e muitos leitores desinformados até mesmos feministas acabam acreditando que a faz apologia a subversão feminina, mas é total falta de informação, que não entenderam a inteligente ironia de Chico.



Fontes no site Mundo Cultural

2 comentários:

Marinaaaa disse...

Ahh entãO me desculpeee.. por ser "feministaa.. ou desinformada"!!
Mas achei mto triste essa letra...
As coitadas sofreM qdO os maridos vão pra guerra, qdo eles voltam, além de violenta-las.. ainda bebem e trai!!!!
= O

PrecisO bater um papo om ChicO pra ver se eu entendO!! = S

Caito disse...

Essa letra é realmente fantástica. Po Mariana, vc vai me perdoar, mas na falta do Chico acho que posso tentar te explicar, embora me pareça que a própria autora do texto ja fez isso! rs Mas a letra é pra ser triste mesmo, pra mostrar o sofrimento submisso e calado de muitas mulheres até hoje, tal qual as mulheres de Atenas. O eu lírico faz o papel do "machista", mas ironicamente, "mandando" as mulheres imitarem as mulheres de Atenas, se espelharem nelas, em sua submissão, seu sofrimento. A letra na verdade é que é feminista, pois mostra inclusive o incrível poder de amor das mulheres, que choram por esses "beberrôes canalhas" (que, apesar de homens dominadores filhos da puta, também eram seres humanos - provavelmente da pior qualidade, mas seres humanos). Mas é claro que elas também choram e persistem com seus maridos por seu papel menor na sociedade. Bem, chega disso... !

Fui